Impostação da Voz

                 

      Logo depois de compreendermos a forma da respiração diafragmática, podemos começar a administrar a colocação da voz. Colocação esta, que, no início do aprendizado é de difícil aplicação na sua integridade, mas que com os “vocalizes” adequados, trarão com o tempo a devida colocação das vogais na máscara, sendo assim "ponto de partida" para uma boa impostação da voz.

          Na colocação de voz (“voz colocada do canto popular”) dominam as vogais puras, isto é, vogais claras pela dicção; bem definidas ou bem pronunciadas na fala.

          De cinco sons que o ouvido capta (colocações de voz diferentes), quatro desses sons ele não entende ou entende errado,
dificultando ainda mais a aprendizagem da técnica de canto que no início é um som estranho ao ouvido. Quando começamos a perceber
realmente o som obtido na impostação, torna-se fácil a didática dos exercícios e as palavras do professor começam a ter sentido.

          Para retirar-se a voz da garganta e colocá-la na Máscara, deve-se treinar os “Vocalizes” com ressonância de boca aberta, cuidando-se que esta abertura de boca, obedeça à medida dos dedos indicador e polegar. Este som não deve ser demasiadamente nasal e muito menos apertado no peito ou garganta.

           "Impostar a voz significa colocá-la sob alta projeção, aproveitar ao máximo a pressão do ar sobre a voz, é manter uma imposição do timbre sobre a cor da voz, e, antes de tudo, aplicar as técnicas de colocação da voz na Respiração Diafragmática."

                

 www.ebighelini.com.br - site do tenor Eduardo Bighelini - O Canto e suas técnicas > <VOLTAR>